Primeira Página

Edições Publicadas


Expediente
Nota aos colaboradores
Índice dos volumes
 
  BUSCA na Revista
consulta avançada
 
  Créditos
  Editora PUC-Rio
  Entre em contato

 Powered by Publique!
Revista Comunicação, Cultura e Política

ISSN 1518-8728 (Impresso)

ISSN 2175-7402 (On-line)

PUC-Rio
Voltar
Alceu 6

Tempo, história e as regras dos jogos
Por: Eduardo Neiva


Resumo
O autor discute criticamente os limites das interpretações holísticas do tempo e da história, que presumem uma precedência do todo sobre as partes, qualificando-as de ideologias totais. As ideologias totais são entendidas como uma visão distorcida do que acontece nas interações humanas e biológicas, perpetuando um equívoco teórico de cunho convencionalista presente em autores tais como Hegel, Marx, Freud, Foucault, Durkheim e Saussure. O texto apresenta uma visão de equilíbrio histórico e parcial, fornecida pela teoria dos jogos, como alternativa para o problema.

Palavras-chave
Tempo, história, comunicação, Teoria dos jogos, convencionalismo, signo, individualismo, Equilíbrio Nash

Abstract
The author argues against the holistic interpretations of time and history, presuming the precedence of the whole over the parts, qualifying them as total ideologies. Total ideologies are understood as a distorted view of what happens in human and biological interactions, fostering a theoretical error of a conventionalist nature present in authors as diverse as Marx, Freud, Foucault, Durkheim and Saussure. The paper presents a view of historical and partial equilibrium presented by game theory as an alternative to the problem.

Key-words
Time, History, Communication, Game Theory, Conventionalism, Sign, Individualism, Nash Equilibrium



Tempo, história e as regras dos jogos




Caso não tenha instalado em seu navegador o plugin do "Acrobat Reader", necessário à visualização de arquivos de formato .PDF, faça o download gratuíto. Faça o download clicando aqui!

Versão para impressão:

:: Outras matérias ::
anterior < Imparcialidade aberta e fechada
próxima > Pós-modernos no ciberespaço - seriam os novos apocalípticos desintegrados?

^ Topo

» Primeira Página » Expediente  » Nota aos colaboradores  » Índice dos volumes   » Entre em contato

Powered by Publique!