Discussões sobre o discurso publicitário

entre rupturas e repetições

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46391/ALCEU.v17.ed34.2017.131

Palavras-chave:

Comunicação de mercado, Publicidade, Consumo, Discurso

Resumo

O discurso publicitário na contemporaneidade é marcado por rupturas constantes na forma de abordar o receptor. A emotividade da marca e os valores intangíveis tomam o lugar da apresentação dos produtos e de suas características físicas, porém, há elementos estereotipados que estão arraigados ao fazer publicitário, sobretudo quando se referem a datas comemorativas, mais especificamente ao dia das mães, objeto deste estudo. O texto se propõe a fornecer elementos teóricos como subsídios para uma reflexão sobre a construção do texto publicitário na atual sociedade de consumo. O estudo e a exemplificação da teoria com uma peça televisiva do dia das mães da Renner levam-nos a considerar que o discurso publicitário se constrói considerando as condições de produções e os elementos culturais já consolidados. O resgate de uma cenografia cotidiana, aparentemente familiar, evidencia a manutenção da presença de estereótipos consagrados pelo fazer publicitário, todavia apoiado em uma nova discursividade defendida pelo marketing ao resgatar sua centralidade na dimensão relacional e simbólica das práticas de consumo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel dos Santos Galindo, Universidade Metodista de São Paulo

Possui doutorado em Comunicação Cientifica e Tecnológica pela Universidade Metodista de São Paulo (2000) e pesquisa Pós-doutoral pela faculdade de Comunicação e Ciências da Informação da Universidade Complutense de Madrid, fez curso de extensão em Fundamentos e Orientações do Pensamento Sustentável Contemporâneo pela Université Rene Descartes (Sorbonne). Atualmente é professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, atua em pós graduação e cursos in company. Tem experiência na área da Comunicação com ênfase em Comunicação com o mercado , atuando principalmente nos seguintes temas: gestão da comunicação mercadológica, consumo e comunicação, a construção de imagens e a articulação das competências comunicacionais na produção de intangíveis, aportes tecnológicos a serviço da comunicação com o mercado, a emergência do consumidor-cidadão e as ressignificações das práticas publicitárias.

Elizabeth Moraes Gonçalves, Universidade Metodista de São Paulo

Possui graduação em Letras pela Universidade Metodista de São Paulo, mestrado em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e doutorado em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo. Até 2017 foi professora titular da Universidade Metodista de São Paulo, no programa de pós-graduação em Comunicação Social.

Publicado

2017-06-10

Edição

Seção

Artigos