Mapas fotográficos do Google:

Arte contemporânea e as perturbações visuais da mirada aérea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46391/ALCEU.v20.ed40.2020.49

Palavras-chave:

Google Maps, Tecnologias da Comunicação, Fotografia de Paisagem, Arte Contemporânea

Resumo

Os sistemas de mapeamento geográfico do Google (Google Maps) e demais softwares acoplados
ao serviço (Google Earth e Google Street View) utilizam o registro fotográfico como principal
121
ALCEU – v. 20 – n. 40 – jan-jul/2020
ferramenta de documentação e de mapeamento da geografia terrestre. Para a ciência cartográfica,
a fotografia aérea é uma importante ferramenta de análise e de gerenciamento de informações
geográficas, sendo a técnica ideal para a criação de uma narrativa visual, que preza pela
verossimilhança, ou seja: pela “melhor” e “mais fiel” representação possível do espaço. Por outro
lado, neste paper, gostaria de problematizar o sentido comunicacional dos registros fotográficos
fornecidos pelos mapas Google a partir da análise de duas séries fotográficas criadas por Mishka
Henner: artista belga conhecido por utilizar, como fonte de pesquisa para suas obras, arquivos
fotográficos disponíveis online. Ao que parece, as estratégias de apropriação, produção e montagem
expositiva operacionalizadas pelo artista são capazes de multiplicar as formas de comunicação das
imagens fotográficas, e de “fazer variar” o sentido deste conjunto de “fotografias-mapa” geradas pela
empresa Google.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Grécia Desirée Falcão de Araujo, Universidade do Algarve

Doutora em Comunicação / UERJ.
Professora na Universidade Lusíada de Lisboa.

Publicado

2020-07-10

Edição

Seção

Dossiê Narrativas midiáticas: tempo presente e história cultural