Embates e repercussões midiáticas do debate político

Desafios de tradições marxistas na Internet

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46391/ALCEU.v22.ed47.2022.272

Palavras-chave:

Esquerda maxista, Redes digitais, Embates políticos

Resumo

Objetiva-se discutir, criticamente, práticas comunicacionais que atravessam debates políticos no Brasil. Pretende-se mapear a atuação de grupos reacionários nas redes digitais, que conquistaram
hegemonia nesses espaços através de uma estratégia “metapolítica”, para tensioná-la com
experiências emergentes no campo da esquerda marxista. Analisaremos, ainda, como a mídia
tradicional encara o trabalho de comunicadores que reivindicam a alcunha comunista, através de
discursos despolitizadores. Problematizaremos, então, os desafios culturais postos a uma esquerda
recém articulada que disputa o território da Internet.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ercio Sena, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Ercio Sena é professor adjunto III do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. É docente também nos cursos de graduação em Jornalismo e Cinema e Audiovisual. Possui graduação em Jornalismo e Relações Públicas por essa universidade, graduação em História pelo Centro Universitário de Belo Horizonte, mestrado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (2001) e doutorado em Letras: Linguística e Língua Portuguesa pela PUC Minas (2011). Foi Chefe do Departamento e Coordenador do Curso de Comunicação Social da PUC Minas de 2013 a 2016; coordenador do Curso de Jornalismo de 2017 a 2018. Atualmente, é coordenador do Centro de Crítica da Mídia e vice-coordenador e pesquisador do grupo de pesquisa Mídia e Narrativa. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em crítica midiática e processos de mediação, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação e processos sociais, comunicação e política e comunicação e cultura.

Juliana Gusman, Universidade de São Paulo

Doutoranda em Meios e Processos Audiovisuais pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Mestra em Comunicação Social e Bacharel em Jornalismo pela PUC Minas. 

Referências

ASSANGE, J. et al. Cypherpunks: liberdade e o futuro da internet. São Paulo: Boitempo, 2013.

BECKER, F. Campanha de Bolsonaro mente sobre mobilização de mulheres contra o candidato no Facebook. El País, São Paulo, 17 set. 2018. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2018/09/17/politica/1537142202_233134.html>.

BETIM, F. A esquerda radical brasileira desenterra o debate sobre o socialismo real e ganha adeptos nas redes. El País, São Paulo, 31 out. 2020. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2020-10-31/a-esquerda-radical-brasileira-desenterra-o-debate-sobre-o-socialismo-real-e-ganha-adeptos-nas-redes.html>.

BOLSONARO e os filhos fizeram 469 ataques a jornalistas e veículos de imprensa em 2020, diz ONG. Portal G1, São Paulo, 25 jan. 2021. Bom dia Brasil. Disponível em <https://g1.globo.com/politica/noticia/2021/01/25/bolsonaro-e-os-filhos-fizeram-469-ataques-jornalistas-e-veiculos-de-imprensa-em-2020-diz-ong.ghtml>.

BOLSONARO sugere fechar jornais em novo ataque à liberdade de imprensa. Uol, Brasília, 16 fev. 2020. Congresso em Foco. Disponível em: < https://congressoemfoco.uol.com.br/governo/bolsonaro-sugere-fechar-jornais-em-novo-ataque-a-liberdade-de-imprensa/>.

CAMPOS, P. M. Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp. Folha de S. Paulo, São Paulo, 18 out. 2018. Eleições 2018. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/empresarios-bancam-campanha-contra-o-pt-pelo-whatsapp.shtml>.

CARAPANÃ. A nova direita e a normalização do nazismo e do fascismo. In: SOLANO, Esther (org.). O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018. p. 37-46.

CRUZ, F.; VALENTE, M. É hora de se debruçar sobre a propaganda em rede de Bolsonaro. El País, 21 out. 2018. Disponível em: < https://brasil.elpais.com/brasil/2018/10/18/opinion/1539892615_110015.html>.

DIAS, T..; MARTINS, Rafael Moro. Elogiar ditadores é a melhor maneira de a esquerda continuar perdendo. The Intercept Brasil, 22 jan. 2020. Disponível em: <https://theintercept.com/2020/01/22/elogiar-ditadores-faz-esquerda-continuar-perdendo/>.

DIAS, V. T. Ativismo de esquerda nas redes sociais: contradições das novas trincheiras da luta política. Revista Novos Rumos Sociológicos, vol. 8, n.13, p.192-225, jan/jul. 2020.

FERNANDES, S. Sintomas mórbidos: a encruzilhada da esquerda brasileira. São Paulo: Autonomia Literária, 2019.

FOLHA, 100. Folha de S. Paulo, São Paulo, 18 fev. 2021. Editorial. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2021/02/folha-100.shtml>.

FOUCAULT, M. O que é a crítica? Crítica e Aufklärung. Espaço Michel Foucault. Brasília, Universidade de Brasília, 1990. Disponível em .

GABRIEL, R. Conheça Sabrina Fernandes, a anti-Olavo. Revista Época, 21 fev. 2019. Disponível em: < https://epoca.globo.com/conheca-sabrina-fernandes-anti-olavo-23469211>.

GREGÓRIO, L. Rita Von Hunty, a drag queen que dá aulas de política: “Intolerância é enfraquecedora de lutas. Revista Quem, 27 jun, 2020. Entrevista. Disponível em: <https://revistaquem.globo.com/Entrevista/noticia/2020/06/rita-von-hunty-drag-queen-que-da-aulas-de-politica-intolerancia-e-enfraquecedora-das-lutas.html>.

LISBOA, D. Foice, martelo e peruca: uma drag queen comunista. piauí, abr. 2019. Esquina. Disponível em: < https://piaui.folha.uol.com.br/materia/foice-martelo-e-peruca/>.

LOWY, M. Dois anos de desgovernos – a ascensão do neofascismo. A terra é redonda, 9 fev. 2021. Disponível em: < https://aterraeredonda.com.br/dois-anos-de-desgoverno-a-ascensao-do-neofascismo/>.

MAIA, D. Falando sobre política, drag queen troca noites de SP por salas de aula. Folha de S Paulo, 29 dez. 2019. Cotidiano. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2019/12/falando-sobre-politica-drag-queen-troca-noites-de-sp-por-salas-de-aula.shtml>.

MANOEL, J. Autocrítica ou anticomunismo? Aportes teóricos para compreender a autofobia na esquerda brasileira. Revista Ópera, 20 mar. 2019. Disponível em: < https://revistaopera.com.br/2019/03/20/autocritica-ou-anticomunismo-aportes-teoricos-para-compreender-a-autofobia-na-esquerda-brasileira/>.

MARX, K.; ENGELS, F. Ideologia Alemã. São Paulo: Boitempo: 2007.

MAZZA, L. Os comunistas estão chegando: um youtuber entre Marx, Stálin e Caetano. piauí, out. 2020. Esquina. Disponível em: < https://piaui.folha.uol.com.br/materia/os-comunistas-estao-chegando/>.

MIGUEL, L. F. A reemergência da direita brasileira. In: SOLANO, Esther (org.). O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018. p. 14-26.

PAIVA, L. Conheça Rita Von Hunty, a drag queen que ensina sociologia no YouTube. Revista Cláudia. 20 out. 2020. Sua vida. Disponível em: < https://claudia.abril.com.br/sua-vida/conheca-rita-von-hunty-a-drag-queen-que-ensina-sociologia-no-youtube/>.

PINHEIRO-MACHADO, R. Na batalha das redes, a extrema direita ganha por W.O. The Intercept Brasil, 21 jul. 2020. Disponível em:<https://theintercept.com/2020/07/21/batalha-redes-extrema-direita-esquerda/>

ROCHA, L. El País faz matéria contra Jones Manoel, que responde: “conteúdo péssimo”. Revista Fórum. 1 nov. 2020. Disponível em: < https://revistaforum.com.br/midia/el-pais-faz-materia-contra-jones-manoel-que-responde-conteudo-pessimo/>.

SAFATLE, V. A esquerda que não teme dizer seu nome. São Paulo: Três Estrelas, 2016.

______, V. Organizar as lutas. Folha de S. Paulo, São Paulo, 7 dez. 2018. Colunas e blogs. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/colunas/vladimirsafatle/2018/12/organizar-as-lutas.shtml>.

SAYURI, Juliana. Sabrina Fernandes: se quiser mudar o mundo, vem junto. Revista Trip, 3 set. 2020. Disponível em: <https://revistatrip.uol.com.br/tpm/sabrina-fernandes-se-quiser-mudar-o-mundo-vem-junto>.

SPAGNUOLO, S. Telegram, o novo refúgio da extrema direita no Brasil. El País, 20 fev. 2021. Disponível em: < https://brasil.elpais.com/brasil/2021-02-21/telegram-o-novo-refugio-da-extrema-direita.html>.

TEITELBAUM, B. Guerra pela eternidade: o retorno do Tradicionalismo e a ascensão da direita populista. Campinas: Editora Unicamp, 2020.

UMA escolha muito difícil. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 8 de out. 2018. Opinião. Disponível em: <https://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,uma-escolha-muito-dificil,70002538118>.

VIEIRA, D. Jones Manoel, o historiador que influencia Caetano Veloso. Revista Trip, 27 set. 2020. Disponível em: < https://revistatrip.uol.com.br/trip/jones-manoel-o-historiador-que-influencia-caetano-veloso>.

WILLIAMS, R. Recursos da Esperança. São Paulo, Editora Unesp: 2015.

ZANINI, F. Stálin não foi a reencarnação de Lúcifer, diz historiador que influenciou Caetano Veloso. Folha de S. Paulo, São Paulo, 17 set. 2020. Poder. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/09/stalin-nao-foi-a-reencarnacao-de-lucifer-diz-influenciador-de-caetano-veloso.shtml>.

Publicado

2022-10-10

Edição

Seção

Dossiê Cartografias da comunicação na era algorítmica