Silêncio na favela

Rivalidade, dramatização e estereótipos de classe nas representações sociais do FlaFlu

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46391/ALCEU.v24.ed52.2024.407

Palavras-chave:

Flamengo, Fluminense, Rivalidade Fla-Fu, Time de favelado, Time de grã-finos

Resumo

A crônica esportiva é naturalmente recheada de drama, romance e poesia. No Rio de Janeiro, essa narrativa ganhou ainda mais fôlego graças às artimanhas dos irmãos Mário Filho e Nelson Rodrigues, que se utilizaram do lirismo intrínseco ao futebol para demarcar certas representações sociais antagônicas. Os estereótipos de “time de favelado” e “time de grã-finos”, associados respectivamente a Flamengo e Fluminense, são um dos exemplos de como a rivalidade FlaFlu se delineia para além dos gramados, configurando-se também pelo lirismo baseado nessa “tradição inventada” que contrapõe o rico e o pobre. Com base nessas perspectivas, o objetivo deste artigo é evidenciar – a partir de uma revisão bibliográfica do histórico de fundação dos clubes – quais aspectos sociais e culturais contribuem para que até hoje o Flamengo seja um clube associado às camadas populares, enquanto o Fluminense permanece arraigado à sua origem aristocrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thalita Neves, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Doutora em Comunicação pela UERJ. Pesquisadora de pós-doutorado na UFBA, pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT.DD)

Referências

ANJOS, Márvio. Depoimento em: TERRA, Renato. Fla x Flu: 40 Minutos Antes do Nada. São Paulo: Sentimental Filme, 2013.

BARRETO, Marcelo. Entrevista concedida à autora. Rio de Janeiro, 8 nov. 2022.

BIAL, Pedro. Depoimento em: TERRA, Renato. Fla x Flu: 40 Minutos Antes do Nada. São Paulo: Sentimental Filme, 2013.

BOSCO, Francisco. Depoimento em: TERRA, Renato. Fla x Flu: 40 Minutos Antes do Nada. São Paulo: Sentimental Filme, 2013.

COUTINHO, Renato. Um Flamengo grande, um Brasil maior: o Clube de Regatas do Flamengo e o imaginário político nacionalista popular (1930-1955). 2013. 196 f. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013.

______, Renato. Por que nos Fla x Flus era um “Ai Jesus”? A construção da rivalidade entre Flamengo e Fluminense e o ideário da identidade nacional brasileira. Recorde. Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 1-5, 2016.

FERREIRA, Guilherme. “Flamengo, time de favelado!”: Representações sociais do Flamengo na mídia impressa dos anos 1930 aos 1960. 2013. 111 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação), Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

HELAL, Ronaldo. Passes e impasses: futebol e cultura de massa no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1997.

HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence (Org.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

KFOURI, Juca. Entrevista concedida à autora. São Paulo, 8 set. 2022.

KOWALSKI, Marizabel. Por que Flamengo? 2001. 392 f. Tese (Doutorado em Educação Física), Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, 2001.

LEVER, Janet. A loucura do futebol. Rio de Janeiro: Record, 1983.

TERRA, Renato. Fla x Flu: 40 Minutos Antes do Nada. São Paulo: Sentimental Filme, 2013. Disponível em: https://youtu.be/tynoRS4OfqM. Acesso em: 24 jan. 2024.

Downloads

Publicado

2024-05-30

Como Citar

Neves, T. (2024). Silêncio na favela: Rivalidade, dramatização e estereótipos de classe nas representações sociais do FlaFlu. ALCEU, 24(52), 256–268. https://doi.org/10.46391/ALCEU.v24.ed52.2024.407

Edição

Seção

Dossiê Estudos contemporâneos em comunicação e esporte