Exotismo e Irracionalidade:

as narrativas da imprensa francesa sobre a seleção brasileira de futebol nas Copas do Mundo de 1958 e 1998

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46391/ALCEU.v21.ed44.2021.197

Palavras-chave:

Jornalismo, L'Équipe, Narrativas, Identidade nacional, Futebol brasileiro

Resumo

O artigo apresenta uma análise das narrativas do jornal L’Équipe sobre o futebol brasileiro nas Copas de 1958 e 1998. Parte-se da hipótese de que foi a partir da atuação da seleção brasileira na Copa do Mundo da França, em 1938, e do “olhar” da imprensa francesa sobre o futebol brasileiro que as ideias do antropólogo Gilberto Freyre e do jornalista Mario Filho, de que o futebol brasileiro seria mais artístico, se consolidaram no país. Pressupõe-se que os franceses, em geral, olhavam o Brasil como um país exótico, com todos os estereótipos “positivos” e “negativos” que permeiam essa visão. Esses estereótipos continuariam aparecendo na imprensa francesa nas Copas de 1958 e 1998?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo George Helal, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

É professor titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Possui graduação em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1980), graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979), mestrado em Sociologia - New York University (1986) e doutorado em Sociologia - New York University (1994). É pesquisador 1-C do CNPq, Pós-Doutor em Ciências Sociais pela Universidad de Buenos Aires (2006). Em 2017, realizou estágio sênior na França no Institut National du Sport, de L'Expertise et de la Performance. Foi vice-diretor da Faculdade de Comunicação Social da Uerj (2000-2004) e coordenador do projeto de implantação do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Uerj (PPGCom/Uerj), tendo sido seu primeiro coordenador (2002-2004).Foi chefe do Departamento de Teoria da Comunicação da FCS/Uerj diversas vezes e membro eleito do Consultivo da Sub-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa da Uerj por duas vezes. Em 2008 concluiu o curso de Especialização Tango: genealogía política e historia; ministrado pela Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales - FLACSO. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Teoria da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: futebol, mídia, identidades nacionais, idolatria e cultura brasileira. É coordenador do grupo de pesquisa Esporte e Cultura (www.comunicacaoeesporte.com) e do Laboratório de Estudos em Mídia e Esporte - LEME. Publicou dez livros e mais de 140 artigos em capítulos de livros e em revistas acadêmicas da área, no Brasil e no exterior.

Downloads

Publicado

2021-09-29

Como Citar

Helal, R. G. (2021). Exotismo e Irracionalidade:: as narrativas da imprensa francesa sobre a seleção brasileira de futebol nas Copas do Mundo de 1958 e 1998. ALCEU, 21(44), 30–51. https://doi.org/10.46391/ALCEU.v21.ed44.2021.197

Edição

Seção

Artigos