Mulheres negras no YouTube

experiências culturais e direito à comunicação nas mídias digitais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46391/ALCEU.v23.ed49.2023.319

Palavras-chave:

midiatização, autocomunicação de massas, direito à comunicação, feminismo negro

Resumo

Este artigo traz resultados obtidos pela pesquisa de doutorado defendida pelo autor e se dedica a analisar a atuação de youtubers negras e seu potencial para garantir o Direito à Comunicação por meio das mídias digitais. O estudo tem como marcos teóricos a legislação brasileira sobre comunicação e radiodifusão, as perspectivas de midiatização e autocomunicação de massas, potencializadas pelas novas mídias, e os estudos sobre o feminismo negro. Foram analisados os vídeos e comentários de quatro canais brasileiros do Youtube com base em análise exploratória e netnografia. Observou-se aspectos como a importância da abordagem de temas como a beleza e a estética para a conquista de visibilidade midiática, o potencial da plataforma em garantir um espaço de diálogo aos usuários e deficiências no conhecimento sobre o racismo no Brasil. Tais aspectos são interpretados como garantidores do Direito à Comunicação e abrem caminhos para outros grupos sociais da América Latina exercerem sua cidadania por meio das novas mídias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe de Oliveira Mateus, Universidade Estadual Paulista - Unesp

Doutor e Mestre em em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade de Arquitetura, Artes, Comunicação e Design (Faac) da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Membro do Grupo de Pesquisa Mídia e Sociedade, filiado à linha de pesquisa Direito à Comunicação. Minhas áreas de atuação em pesquisa são voltadas aos seguintes temas: midiatização, cultura digital, youtube e youtubers, direito à comunicação e novas mídias.

Referências

ALMEIDA, Sílvio. Racismo Estrutural. São Paulo: Pólen, 2019.

BERTH, Joice. O que é empoderamento? Belo Horizonte: Letramento, 2018

BITELLI, Marcos Alberto Sant’Anna. O Direito da Comunicação e da Comunicação Social. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004.

BRAGA, José Luiz. A sociedade enfrenta sua mídia: dispositivos sociais de crítica midiática. São Paulo: Paulus, 2006.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm > Acesso: vários acessos.

______. Lei n.º 12965/2014. Marco Civil da Internet. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12965.htm> Acesso em: vários acessos.

BURGESS, Jean; GREEN, Joshua. YouTube e a Revolução Digital. São Paulo: Aleph, 2009.

CANCLINI, Nestor García. Culturas híbridas. São Paulo: Edusp, 2008.

CASTELLS, Manuel. O poder da comunicação. Rio de Janeiro; São Paulo: Paz e Terra, 2017.

CARNEIRO, Sueli. Escritos de uma vida. Belo Horizonte: Letramento, 2018.

FRAGOSO, Sueli; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2013.

HINE, Christine. Virtual Ethnography. Londres: Sage, 2000.

HJARVARD, Stig. A midiatização da cultura e da sociedade. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2014

INTERVOZES. Direito à comunicação e internet: o empoderamento digital como garantia deste direito no ambiente online. São Paulo: Intervozes, 2018.

______. Direito à Comunicação no Brasil 2020. São Paulo: Intervozes, 2020

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

KOZINETS, Robert V. Netnografia: realizando pesquisa etnográfica online. Porto Alegre: Penso, 2014.

LEMOS, André. Les trois lois de la cyberculture. Libération de l'émission, connexion au réseau et reconfiguration culturelle. Sociétés, 2006/1 no 91, p. 37-48.

LIMA, Venício Arthur. Regulação das comunicações: história, poder e direitos. São Paulo: Paulus, 2011.

RAMOS, Murilo César; SANTOS, Suzy dos. Políticas de Comunicação. São Paulo: Paulus, 2007.

RIBEIRO, Djamila. Lugar de Fala. São Paulo: Polén, 2019.

Downloads

Publicado

2023-08-30

Como Citar

de Oliveira Mateus, F. (2023). Mulheres negras no YouTube: experiências culturais e direito à comunicação nas mídias digitais. ALCEU, 23(49), 54–67. https://doi.org/10.46391/ALCEU.v23.ed49.2023.319

Edição

Seção

Artigos