Cinema e literatura

Transposição intermidiática da história de um defunto autor

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46391/ALCEU.v21.ed42.2020.181

Palavras-chave:

Adaptação, Transposição Intermidiática, Memórias Póstumas

Resumo

Neste artigo se discute a adaptação de histórias que migram do campo literário para o cinematográfico. Aborda-se o nexo entre as obras na perspectiva da intertextualidade e da hipertextualidade, em que os textos se relacionam em um processo de derivação. O foco é posto na transposição intermidiática de Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881) para o filme Memórias Póstumas (2001). São analisados os aproveitamentos e as adequações feitas na transposição do romance para o filme, e destacados os elementos que se mantêm, os que se renovam e os que não se concretizam na obra adaptada. Verificou-se, nesse caso, a transposição de fábula, de personagens e situações, e a influência dos formatos industriais na composição do enredo, que se manifesta no maior destaque à vida amorosa de Brás e na concatenação das relações de causa e feito entre as partes do relato.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Gomes Marques, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do Curso de Audiovisual- UFMS

Doutora em Ciência Sociais, Universitá Gregoriana - Roma

Gedy Brum Weis Alves, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Doutoranda em Estudos de Linguagens, pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.
Mestre em Estudos de Linguagens, área de concentração em Teoria Literária e Estudos Comparados, pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2013).

Publicado

2020-12-15

Edição

Seção

Artigos